Segurança das contas digitais: Tudo o que você precisa saber!

Saiba todas as informações necessárias para proteger a sua conta digital!

A evolução tecnológica tem transformado os costumes, impulsionando a busca por mais eficiência e agilidade. Do mesmo modo que já nos habituamos ao uso de smartphones e aplicativos para mensagens e entregas, os bancos digitais têm ganhado popularidade.

No entanto, muitos ainda se sentem apreensivos diante dessa novidade, questionando a segurança das contas digitais. Uma das principais vantagens desse tipo de serviço é a ausência de tarifas, contrastando com as instituições bancárias tradicionais, além de oferecer facilidades na abertura de contas, aprovação de cartões de crédito, e outros benefícios.

Descubra tudo sobre esses serviços para compreender sua confiabilidade e aprender estratégias para manter sua proteção constante!

Segurança dos bancos digitais: confiável ou não?

O Brasil já lidera o ranking global de contas digitais, conforme uma pesquisa conduzida pela Finder. O estudo revela que 43% dos brasileiros possuem uma conta digital e prevê que até 2027, esse número pode chegar a 57% da população.

Em virtude da ausência de tarifas, facilidade de acesso a serviços e opções de investimento com maior retorno, entre outras vantagens, percebe-se que as contas digitais já conquistaram um amplo público e tendem a crescer ainda mais.

Contudo, um questionamento persiste: os bancos digitais são realmente seguros? No Brasil, os bancos digitais devem obedecer à regulamentação do Banco Central (informações disponíveis no site do BC), da mesma forma que os bancos tradicionais, sendo sujeitos à aprovação e monitoramento dessa instituição federal.

Isso implica que todos os bancos, sejam digitais ou convencionais, devem adotar medidas de segurança para proteger seus clientes. Afinal, mesmo os bancos tradicionais disponibilizam sites e aplicativos móveis. Veja a seguir como os bancos digitais podem aumentar sua segurança!

Principais tecnologias utilizadas pelos bancos digitais para garantir segurança

Os bancos digitais investem consideravelmente em tecnologia para salvaguardar a segurança digital de seus clientes. Além disso, todas as instituições financeiras, sejam digitais ou não, são obrigadas a proteger os dados de seus correntistas, em conformidade com as disposições da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Alguns exemplos dessas medidas incluem o uso de biometria, reconhecimento facial, autenticação por meio de documentos e selfies, tokens, notificações em tempo real a cada transação realizada, cartão virtual, criptografia e autenticação de dois fatores.

  • Criptografia: Utilizada para proteger informações confidenciais, como documentos, dados pessoais e troca de mensagens.
  • Tokens: Senhas temporárias que funcionam como autenticação de dois fatores.
  • Biometria e reconhecimento facial: Formas avançadas de autenticação que exigem a presença física do proprietário do dispositivo.
  • Envio de documentos: Exigência comum em muitos bancos digitais para verificar a identidade do cliente e abrir uma conta.
  • Cartão Virtual: Utilizado em compras online e serviços de pagamento digital.
  • Notificações: Avisos em tempo real sobre transações efetuadas para manter o cliente informado e alertar sobre atividades suspeitas.

Riscos associados a contas digitais

Os bancos digitais não possuem agências físicas para atendimento presencial, dependem de acesso à internet para funcionar, e a disponibilidade de caixas eletrônicos para operações como saques e depósitos pode ser limitada, especialmente em cidades menores.

Além disso, alguns bancos digitais cobram taxas por saques realizados por meio de serviços terceirizados, como os caixas 24 horas e casas lotéricas. O atendimento ao cliente também pode ser um desafio, com a falta de opções de contato por telefone em alguns casos, e interações via chat automatizado que podem ser demoradas e frustrantes.

Em relação à segurança digital, é essencial considerar os riscos que afetam todos os tipos de bancos, mas que são particularmente preocupantes para os bancos digitais devido à natureza de suas operações.

Os ataques mais comuns visam roubar dados sensíveis, como números de cartões de crédito, senhas, CPF e endereços. Assim, a prevenção de vazamentos de dados deve ser uma preocupação primordial.

Para evitar cair em golpes desse tipo, é crucial usar senhas robustas e atualizá-las regularmente, ativar a autenticação de dois fatores, biometria e reconhecimento facial, além de nunca compartilhar informações pessoais com desconhecidos.

É importante lembrar que os bancos não solicitam informações pessoais por e-mail, mensagem ou ligação. Os ataques cibernéticos incluem práticas como phishing, vírus, invasão de rede Wi-Fi e o golpe SIM Swap, todos visando comprometer a segurança dos clientes e suas informações confidenciais.

Ao adotar medidas preventivas e compreender os riscos envolvidos, é possível usufruir dos benefícios dos bancos digitais com mais confiança e segurança.

A próxima etapa consiste em aprender a gerenciar suas finanças de maneira eficiente para impulsionar o crescimento de seus negócios, aproveitando ao máximo as facilidades oferecidas pelos serviços bancários digitais.

E aí, gostou das dicas? Mais informações como essa você encontra aqui no site Carteira. Fique sempre atualizado!

Veja também
Contas digitais: Economize e invista com cashback!

Saiba como o cashback pode ser essencial na hora de economizar e investir!

PicPay: Saiba como aumentar o limite do cartão de crédito de forma fácil!

Obtenha informações detalhadas sobre como aumentar o limite do seu cartão PicPay de maneira simples!

Entendendo a análise de crédito e seu impacto na aprovação de empréstimos

Saiba mais sobre a análise de crédito e entenda como ela influencia na hora de obter um empréstimo!

Desvendando os custos totais de um financiamento: Uma análise detalhada!

Navegue pelos custos totais do financiamento com inteligência e estratégia.

Deixe seu comentário

Não envie dados pessoais como CPF, RG ou renda anual.