16 de outubro de 2017

Qual a diferença entre Corretora e Gestora?

Vale a pena tirar meu dinheiro de uma Corretora para aplicar em uma Gestora, como Vérios, Magnetis e Monetus? Descubra a diferença entre elas e faça uma escolha sábia para seu investimento.

Uma onda de gestoras 100% digitais surgiu no Brasil nos últimos anos a fim de descomplicar os investimentos para pessoas físicas. Se antes o investidor inexperiente buscava os assessores das corretoras para buscar opiniões, hoje o consumidor parece mais sistemático e confiante, a ponto de não precisar de uma interação humana para aplicar seu dinheiro: basta transferir o valor de sua conta corrente para sua conta na gestora e aguardar a confirmação.

Mas qual a diferença prática entre uma corretora, como XP, Rico e Clear, e uma gestora, como Vérios, Magnetis e Monetus?

 

Corretora e gestora de investimentos

Corretora

De forma prática, uma corretora de valores oferece diversos produtos, como títulos de renda fixa (LCI, LCA, Tesouro Direto, etc), opções de renda variável (ações e FIIs, etc), fundos de investimentos e até mesmo investimentos mais estruturados. Na corretora, você escolhe de maneira manual onde deseja colocar seu dinheiro.

Para investidores inexperientes, boa parte das corretoras oferece um assessor de investimentos, que conhecendo seu perfil de uma maneira mais pessoal e entendendo o foco do seu investimento, pode fazer sugestões de investimentos disponíveis na corretora. Mesmo assim, a decisão final continua sendo sua. Você pode confiar no assessor, mas não precisa necessariamente seguir sua opinião.

Gestora

Já o papel da gestora seria similar ao do seu assessor. A diferença é que seu assessor recomenda opções, enquanto a gestora vai, de uma forma mais sistemática, colocar seu dinheiro nas aplicações disponíveis que se enquadram no seu perfil.

Na maioria das gestoras 100% digitais, as aplicações levam em consideração:

  • sua afinidade com risco (perfil de investidor: conservador, moderado, arrojado)
  • tempo que deseja deixar o investimento (curto, médio ou longo prazo)

De certa forma, o assessor de uma corretora recebe comissão para oferecer as melhores opções baseadas em diversos critérios do seu perfil, te conhecendo de uma forma mais pessoal. Uma gestora, pro outro lado, leva em consideração um número menor de critérios (como os descritos acima). É uma forma 'menos personalizada', mas que consegue abranger mais pessoas, em vista de que não é possível oferecer carteiras únicas para todos os clientes.

O diferencial oferecido por uma gestora é você não ter trabalho nenhum, tendo um carteira onde não seja necessário uma intervenção sua. Tudo é administrado pela gestora – e, por isso, eles cobram taxas anuais.

 

Melhor opção: gestora ou corretora?

Qual a melhor opção pra mim?

Como você deve ter notado, corretora e gestora têm trabalhos muito diferentes. Enquanto na primeira você gerencia tudo, podendo escolher exatamente em quais ativos aplicar seu dinheiro e a quantidade, na segunda você só consegue gerenciar o tempo da aplicação e/ou exposição ao risco – você não pode escolher a porcentagem de exposição a determinado ativo, por exemplo.

Exemplificando:

  • Ao transferir dinheiro pra uma corretora, você pode aplicar, da forma que quiser, nas opções disponíveis. Digamos, por exemplo: R$ 500 em Tesouro Direto, R$ 600 em um LCI e R$ 1.000 em ações da Ambev. Fica a seu critério escolher, dentre todas as opções, onde e como gostaria de aplicar o dinheiro.
  • Já ao transferir dinheiro para uma gestora, seu dinheiro é integralmente administrado por ela. Digamos, por exemplo, que seu perfil seja moderado (exposição média de risco) focado em longo prazo. Dessa forma, a gestora iria aplicar (novamente, exemplificando) R$ 900 em CDB de 3 anos, R$ 800 LCI de 2 anos e R$ 400 em ações do Itaú.

As vantagens de uma gestora seriam, basicamente, a qualidade da gestão de ativos e ausência de trabalho por sua parte. Se você confia, se enquadra no perfil de gestão da gestora e entende a estratégia praticada, pode ser uma boa forma de diversificar seus ativos de modo a deixar um profissional responsável.

Mas, obviamente, você não consegue fazer uma leitura desses fatores se não experimentar a gestora por algum tempo. Como recomendação, é interessante abrir conta nas gestoras que você tem interesse, transferir o valor inicial solicitado e, então, analisar a cesta de produtos que seu dinheiro foi investido, em quais empresas você está investindo no FIA, como foi o processo de transferência, verificar em quais instituições financeiras a gestora aplica o dinheiro. se houve necessidade de chamar o suporte, enfim, a experiência completa.

Somente dessa forma, com uma experiência real, você consegue tirar suas próprias conclusões – e, principalmente, perceber se você se enquadra no perfil da gestora.

Como comparar meu perfil com o da gestora

Antes de mais nada: qual seu grau de conhecimento sobre investimentos? Se baixo, você tem interesse por aprender mais?

Essa é uma pergunta primordial para o entendimento do seu perfil. Se você respondeu "baixo" e "não" para as perguntas acima, muito provavelmente você não terá "incompatibilidades" com qualquer gestora. Já se você tem um pouco mais de conhecimento, somente experimentando para decidir se enquadra no seu perfil.

Em grupos de discussão é bastante habitual ver investidores que querem o benefício do trabalho profissional oferecido pela gestora, mas desejam mudar os ativos onde o dinheiro foi aplicado. Ou seja, essa pessoa não se enquadra completamente no perfil da gestora, pois não há tranquilidade nos ativos investidos por ela. Em uma gestora, o foco é você não ter trabalho algum (trabalho passivo), não sendo possível você querer alterar a cesta oferecida (trabalho ativo).

Se você tem um certo conhecimento de investimentos e deseja continuar aprendendo, mesmo ao investir com uma gestora, verifique, inicialmente:

  • Ativos de renda fixa onde seu dinheiro é aplicado
    • Você se sente confortável com as instituições onde o dinheiro é aplicado? Vê risco nesses bancos?
  • Empresas que fazem parte do portfólio do fundo de ações
    • Você conhece alguma delas? Sabe se há um histórico de lucro?
  • Quais as taxas envolvidas?
    • Você vai precisar pagar taxa de performance? Qual a taxa de administração? Há taxa para resgate do dinheiro?

Apesar do papel da gestora ser de remover qualquer trabalho que você possa ter, essas são características que você analisa unicamente para saber se ficará tranquilo com os investimentos feitos. A partir de então, ao se sentir confortável (ou não), pode aumentar as aplicações e desfrutar de ter profissionais trabalhando para seu dinheiro render mais – porém, lembre-se: diversificar é importante! Não mantenha todo seu dinheiro em um único local.